Histórico
 28/11/2004 a 04/12/2004
 07/11/2004 a 13/11/2004
 26/09/2004 a 02/10/2004
 12/09/2004 a 18/09/2004
 05/09/2004 a 11/09/2004
 29/08/2004 a 04/09/2004
 22/08/2004 a 28/08/2004
 15/08/2004 a 21/08/2004
 08/08/2004 a 14/08/2004
 01/08/2004 a 07/08/2004
 25/07/2004 a 31/07/2004
 18/07/2004 a 24/07/2004
 27/06/2004 a 03/07/2004
 13/06/2004 a 19/06/2004
 06/06/2004 a 12/06/2004
 30/05/2004 a 05/06/2004
 23/05/2004 a 29/05/2004
 09/05/2004 a 15/05/2004


Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 UOL
 UOL SITES


 
LONDON STYLE


Este blog faliu.

Sim, sim. O choro será constante.



Escrito por Gustavo às 01h09
[] [envie esta mensagem]



Código Da Vinci :: Anjos e Demônios

Não sei qual é melhor. Li o primeiro em dois dias, nos intervalos das fortes dores de cabeça a que eu estava sendo submetido devido à GRIPE mais horrenda de toda a minha existência. O segundo demorei mais para terminar, pois não padecia de nenhuma doença terrível: quatro dias. Mas, em ambos os casos, a urgência que se impregnou na minha mente e a vontade louca de acabar o livro para ONTEM assemelhou-se somente a quando eu li O Senhor dos Anéis e os Harry Potter. É impressionante como funciona esse estratagema de misturar fatos reais com ficção e forjar cada pedaço da história como se tudo tivesse que ser de um determinado jeito para resultar o total inesperado. Gostei muito também da técnica do Dan Brown de narrar várias situações diferentes ao mesmo tempo. A cada capítulo, muda-se a referência. Assim, a narrativa ganha muita agilidade e concentra-se basicamente na ação, que não falta na sua obra.

Alguns acham muito forçado. Eu também, sob um certo prisma. Mas é bom! Tem a ver com organizações secretas e símbolos desconhecidos, e isso já captura minha atenção de imediato. Com certeza, ele podia deixar algumas frases de efeito de lado. Entretanto, como trabalho de ficção com fundamentação levemente verídica, é bem feito.

Pra quem ainda não ouviu falar em Illuminati, Priorado de Sião, Maçonaria, vão ler o livro. E depois pesquisem a respeito. Ou o contrário.

E dá-lhe Leonardo Da Vinci. Esse sabia das coisas.



Escrito por Gustavo às 20h07
[] [envie esta mensagem]



Exatamente.

Não perca o sorriso, cinderela. Não perca o sorriso.

Isso é a coisa mais legal que eu pensei hoje. hehe.

Tem clássico DZ X BAVÁRIA hoje na Wallau, às 15h.

Não jogo há mais de sete meses. E precisamos vencer hoje. É algo próximo do impossível. Mas vocês conhecem a propaganda. IMPOSSIBLE IS NOTHING. adidas. Não que eu tenha um tênis ou chuteira Adidas, mas sempre é bom se inspirar num exemplo assim. Eu concordo plenamente. Se o Lula ganhou as eleições, se o Bush consegue ganhar uma eleição que ele perdeu e mandar seu país à guerra sem aprovação de ninguém, se eu dormi oito dias no chão em Atenas - meu maior feito, eu sei -, se a Wendy - nossa cachorrinha que mora com a vó Geni - consegue parecer mais e mais gorda a cada vez que a vejo, se... Bom, vocês entendem. Mesmo que seja impossível, possibilidades existem, por mais ilógico que essa frase e todo esse pensamento possam parecer.

OUVINDO. Andrew Wk - It´s Time To Party



Escrito por Gustavo às 11h50
[] [envie esta mensagem]



Olelê

Mr Jones tá cantando. Deixa o homem cantar. Lá vai com uns "Everybody love you", "picture", "beautiful colours", "symbolic". Shalala. Essa música descomplica o mundo, é incrível. Algumas músicas tornam o mundo muito complexo e cheio de variáveis e dimensões paralelas e realidades distintas, mas Mr Jones é uma dessas que é só trilegal de cantar  tocar no violão. Vamo, que vamo. Ieieie. Mr Jones and Me. Tell each other fairy tales. Lá vem o Guilo olhar o que eu digito. O Marcello não pára de cantar. As coisas mais bizarras do mundo acontecem quando ninguém espera. Este é o momento. Eu digito o que acontece, o Marcello canta e o Guilo grita com dois amigos dele que jogam Mega Drive. I´ll never gonna be lonely. I Wanna be a lion. EHHH. Big, big stars. Reasons. BELIEVE IN ME. Eu quero ser alguém que acredita. Eu quero acreditar, oleoleole, dá-lhe Brasil. Brazil. E Mr Jones. A música continua. A letra é boa. As lyrics, como dizem. Hohoho. Será um feliz natal. Ninguém na rua, neste momento. Ops, lapso meu. Tem um monte de gente na rua. E isso não tem nenhuma relevância, hehehe. Como eu gosto de rir. Faz bem.



Escrito por Gustavo às 19h40
[] [envie esta mensagem]



Ole, Ole, Ole

To no Brasil.

De volta.

Hehe.

Eh engracado.

Nao sei se acabo com o blog ou volto aqui de vez em quando pra relatar uns fatos curiosos e revelar coisas meio absurdas. O que eu mais gosto neste blog -acho que eu ja disse - eh a letra com que eu escrevo aqui, na caixa de texto. Esta fonte é excelente, e eu acabei de lembrar que, no Brasil, acentos existem. Como é bom contar com acentos. O Marcello tá olhando e achando esquisito o que eu tô digitando. Acabou de atender uma chamada. Acho que foi em falso. Talvez um toque. Garotas? Pss. Daqui a pouco ele lê essa parte do "garotas" e fica brabo, hehe. Talvez tenha descoberto agora. O sorrisinho não esconde. Olha, olha. Acho que entendeu. hehehe. Foi o Marcello olhar pra cá, que o Guilo também achou interessante. Fico digitando essas coisas enquanto escuto o Bruce Dickinson gritar "montsegur, montsegur" como se houvesse um incêndio. Calma, calma. Tudo em paz.



Escrito por Gustavo às 19h31
[] [envie esta mensagem]



Estou de volta

a Londres. Nunca imaginei que seria tao legal voltar pra ca. Rever os amigos e reviver a cidade que me abrigou durante 6 meses. Confesso que nos ultimos tempos, antes de ir pra Grecia, nao estava mais gostando tanto daqui. Ja tinha me acostumado a tudo e nao parava mais de trabalhar e estudar. A cidade, entao, ficou chata. Imaginem. Isso, tentem imaginar Londres chata. Mesmo quem nao conhece isso aqui sabe que Londres eh qualquer coisa menos chata. Mas a gente se acostuma com  tudo, e chata comecou Londres a ficar. Ate que eu decidi ir pra Grecia e viajar pela Europa. Ja tava com saudade dessa cidade chata, onde pessoas falam sozinhas na rua, a chuva tem vida propria e tudo de mais bizarro que ha por ai acontece. Hoje fui numa livraria. Fiquei umas 3 horas lendo um monte de livros. Tantos me despertaram a curiosidade, que, tenho quase certeza, nao sairei daqui sem uns 2 livros novos, pelo menos. Descobri alguns com teorias conspiratorias, e eu adoro isso. Principalmente se tratando do 9/11. E nada do Michael Moore. Eh coisa mais pesada.

Opa. Acabou o tempo.



Escrito por Gustavo às 15h45
[] [envie esta mensagem]



AMSTERDAM

Muito tri, muito tri. Estou ficando na casa - prestem bem atencao, porque eh complicado - da mae do namorado da irma do Fabio, flamenguista que morava no mesmo lugar que eu la em londres. Eu havia conhecido essa mae do namorado da irma do Fabio, a Eslavitza (nao sei escrever isso), quando ela foi visitar o Fabio em Londres, faz um tempao. Conheci um pouquinho, de conversar e tal, mas sem criar um laco muito grande, ja que ela soh ficou tres dias la. Pois cheguei eu aqui na Holanda na sexta a noite, pelas 23h. Nao eh que eles me foram buscar de carro? uau. E nao eh que ela me recebeu TRIBEM, como eu nuuunca imaginava ser recebido? E nao eh que, na casa, que se situa em Leiden, cidade pertinho de Amesterdam, eu almoco e janto com eles, como se fosse da familia? E nao eh que, no sabado, o Arend, marido da Eslavitza, nos levou num passeio de barco pelos canais de Leiden, ate o centro da cidade, onde conheci a feirinha da cidade, extremamente tipica, cheia de holandeses de verdade comprando peixe e comendo arenque cru - que eu nao tive coragem de experimentar ? Olha, estou muito contente com tudo isso. minha estada aqui esta sendo perfeita. estou dormindo em cama confortavel, comendo comida holandesa da melhor qualidade e me divertindo por ai com uma leveza de espirito que eu nao conseguia manter antes, afinal aqui nao preciso me preocupar em constatar se minha mochila continua ainda no lugar e se minha mala ainda nao desapareceu. Alem disso, ha horarios fixos para almoco e janta. Ou seja, esta eh uma semivolta para casa, antes de voltar para londres e seguir para o BRASIL, dia 24. Tenho soh mais uns 12 dias. Uau.

Anteontem a noite, fomos conhecer a famigerada ZONA VERMELHA, a red district, onde ficam as prostitutas e todas as libertinagens da capital holandesa. Sinceramente, nunca vi clima tao liberal quanto aqui. Londres tambem eh, mas nao tanto. Ali na zona, nos ofereceram cocaina como se fosse coca-cola, sem nem disfarcar. hehe. Mas o que mais impressiona, claro, sao as mulheres expostas de biquini nas janelas, com as luzes vermelhas em volta, chamando os clientes e excitando-os com gestos e olhares. O preco ate nao eh tao caro: 50 euros. trinta minutos. hehe. Mas a gente nao tinha dinheiro hehe.. E uma gorda se ofereceu por 20 euros. se negociasse bem, acho que a gorda pagava uns 10 euros pra transar heehehe. \\

A noite acabou em Kebab, que eu nunca tinha experimentado. tribom.



Escrito por Gustavo às 07h07
[] [envie esta mensagem]



Hehe.

Comecei a escrever essas coisas quando lancou o primeiro casa dos artistas hehe. Eu ainda vou me concentrar e ajeitar esses textinhos. Tao cheios de erros, mas a ideia eh legal. Deliciem-se com os erros primarios de TEMPO e ESPACO e com a falta de logica. eh tri revirar essas coisas. to indo pra Amsterdam em menos de 2 horas. tenho que pegar minha mala no albergue, daqui a pouco, e me dirigir para a estacao. Mais 4 horas de viagem.



Escrito por Gustavo às 11h32
[] [envie esta mensagem]



VI - A Casa Bizarra das Personalidades Excentricas

Uma bola de futebol. Nadando! Como pode, pensou Pericles Renato. Uma bola de futebol nao pode estar nadando na piscina. Chegou ele entao mais perto, a fim de enxergar melhor aquela cena absurda. Como nao podia ser visto, utilizou todas as suas tecnicas de camuflagem Ninja, inclusive o Passo Borboleta, reservado soh para as situacoes de extremo risco e exposicao. Em dois segundos, depois de muitos giros pelo ar e alguns semimantras emitidos mentalmente, Pericles Renato encontrava-se atras de um arbusto, imediatamente ao lado da piscina onde a bola nadava.



Escrito por Gustavo às 11h17
[] [envie esta mensagem]



V - A Casa Bizarra das Personalidades Excentricas

Embaixo do tapete. Quem diria!

Era um porão modesto. Tinha uma escadinha, uma cama e uma estante com alguns livros empoeirados.
Estava na hora de documentar tudo. Fotos, filmagens, gravações sonoras.

Tirou a câmera fotográfica e a filmadora da mochila e saiu do porão. Tudo deserto ainda. Os gritos, no entanto, continuavam. Agora mais altos. Ele dirigiu-se ao pátio. Segundo a equipe de apoio de fora da casa, o pátio seria enorme. Piscinas, playground, campinho de futebol e churrasqueiras. Foi andando e se afastando da casa. Pelo chão, estranhamente, encontrava nacos de cocô pisoteados. Péricles Renato filmava tudo. Continuou andando. Se aproximava das piscinas. Uma olímpica e uma para quem não sabe nadar, lhe avisaram. Gritos, novamente. Ele já estava quase acostumado.

Chegou à beirada da piscina. Ele não havia notado antes, mas alguém estava nadando.

Escrito por Gustavo às 11h16
[] [envie esta mensagem]



IV - A Casa Bizarra das Personalidades Excentricas

Péricles Renato finalmente achou as chaves. Alguns segundos depois, já havia chegado ao Hall da Casa. Ele estava tomado de medo e pavor. Ouvia gritos. E mais gritos. De mulheres, de homens, de... Crianças? Não deveria haver nenhuma criança na casa. Engoliu em seco e continuou. Crec, crec. O piso de madeira rangia à cada passada. Ele ia lentamente. Passou o tapete enorme do meio da sala e espiou para dentro da sala de jantar. Ninguém ali.

A casa parecia perfeitamente normal. Limpinha, arrumada, tudo aparentemente em seu lugar. A sala de jantar era grande. Uma enorme mesa com 10 lugares jazia no meio dela. Tudo de madeira. Muitos tapetes pelo chão e dezenas de quadros pelas paredes. É arquitetura moderna, pensou. Mais gritos ele ouviu. Pensou em subir a escada ou sair pelo corredor à direita, ao fim do qual provavelmente haveria mais portas. O problema: não podia ser visto.

Os ninjas lhe alertaram que, talvez, no estado mental em que os moradores se encontravam, totalmente isolados, sem ver pessoas novas há dois meses, pela surpresa que sua presença lhes causaria, havia possibilidade de esquartejamento. Logo lhe ensinaram como sair da situação, se realmente ocorresse. Mas ele preferiu não arriscar.

Montar o QG, lembrou. Havia, em algum lugar daquela sala de jantar, uma porta secreta, que desenbocaria em seu futuro lar. Para achá-la, utilizou todos os segredos da CIA, do FBI e dos Ninjas combinados. Concentrou-se, uniu as duas mãos, baixou a cabeça e, subitamente, começou a correr pela sala se jogando contra os móveis e contra as paredes. Talvez desse certo.


Escrito por Gustavo às 11h15
[] [envie esta mensagem]



III - A Casa Bizarra das Personalidades Excentricas

O helicóptero sobrevoou a Casa e deixou cair um enorme saco de lixo preto - Péricles Renato disfarçado -, que aterrisou com grande violência no teto. Péricles, com seus cabelos esvoaçantes, preparava-se para adentrar o Túnel Secreto. Só Ele tinha as coordenadas, o Kit de sobrevivência, o preparo psicológico necessário e a chave do elevador. E Péricles Renato ficou lá em cima, tremendo de frio, dando tchauzinho para as câmeras. "A chave", pensou. Pôs a mão direita no bolso tateando à procura do chaveiro que haviam lhe dado. Nada ali, exceto papéis de bala e uma camisinha. Preocupado, colocou a mão esquerda no outro bolso. Papéis de chiclete, carteira e outro pacote de camisinhas. Sempre prevenido...

Mas a maldita chave não se deixava ser encontrada tão facilmente. Mãos pra lá e pra cá buscando e rebuscando a danada, e pacotes de camisinhas continuavam a aparecer dos bolsos das calças e do casaco. Tirou o sapato. Nada ali, tirou a meia. Camisinhas na meia, sim: prevenção nunca é demais.

Escrito por Gustavo às 11h15
[] [envie esta mensagem]



II - A Casa Bizarra das Personalidades Excentricas

Nossos peritos relatam que existe grande possibilidade de que todos os moradores da casa estejam enlouquecendo gradativamente ou já tenham enlouquecido. Possivelmente, sem contato com o mundo exterior, sem relógios, sem televisão, sem computador, perderam a noção do tempo. Ou seja: acordam às 9 da noite, almoçam a 1 da manhã, jantam só às vezes e vão dormir - quando se lembram de dormir - às 2 da tarde do outro dia. Provavelmente, muitos ja perderam costumes e habitos diarios, como falar e tomar banho.


Escrito por Gustavo às 11h14
[] [envie esta mensagem]



I - A Casa Bizarra das Personalidades Excentricas

O intento da casa é experimentar. Dez pessoas estão sendo filmadas dentro de uma mansao em local secreto, 24 horas por dia. Elas já estão lá há dois meses, quando foi inaugurada a Casa Bizarra das Personalidades Excêntricas.

Faremos testes, joguinhos psicológicos e torturas extenuantes. Ninguém pode desistir. Não há premio. Na próxima semana, enviaremos um agente especial disfarçado para espionar a casa para nós. Ele portará câmeras secretas e microfones. Neste momento, ele está se preparando em uma ilha de cuba, onde um ex-agente do FBI, um interrogador da CIA fraudulento e dois Ninjas inconformados lhe ensinarão todas as táticas sujas para a guerra dentro da casa. Ele não poderá ser visto pelos moradores.


Escrito por Gustavo às 11h14
[] [envie esta mensagem]



Opa.

To testando o novo template. O outro era terrivel hehe. Todo cinza e branco, coisa sem graca. Agora acho que melhorou um pouco.

Escrito por Gustavo às 11h04
[] [envie esta mensagem]




[ ver mensagens anteriores ]